24.10.16

#RESENHA 5 - Roda Gigante

Passei um tempinho sem tocar em livros devido a faculdade, não consigo ler prazerosamente em grandes períodos de stress.
Certo dia deste recesso, eu estava checando as mensagens do WhatsApp e "surprise", esqueci que uma amiga tinha me indicado um livro. Então tratei de ler.
O nome do livro era Roda-Gigante.


A estrutura do livro inicialmente pode parecer confusa, pois você vai perguntar "Onde estão os capítulos?", e esse é exatamente o charme do livro. Os capítulos são os nomes do principais personagens que são ligados por uma criaturinha fofinha, o gato Blue.

Entretanto não são ligados consecutivamente, cada capitulo conta determinada historia do personagem que nomeia o capítulo, cada qual com sua trama unica. É como uma compilação de contos, porém eles convergem, pois mesmo que indiretamente os personagens tem ligações com os outros.

Os capítulos são: Nora, Sarah, Ían, Claire, Alexei e Brandon.

Vou explicar de modo simples, e sem spoilers como eles funcionam: O capítulo vai contando a historia do personagem, e pelo menos até o capítulo de Claire, ao menos eu como leitor, não havia identificado ligações entre eles, exceto Blue. Porém a partir desse capitulo os ganchos dos capítulos anteriores vão se engatando e criando novas ligações para com os capítulos posteriores, fechando com chave de ouro em Brandon.

Temos ainda o Epílogo, que fecha a historia em um total, quando tudo faz sentido. Deixando tudo redondinho.

Alguns leitores podem pensar: "Mas desde o capítulo de Nora, já dava pra saber o que seria o final."

Não é bem assim, isso pode até ter dado a indicativa do que iria ser o final, mas e o desenvolvimento até chegar aquele ponto? Sem contar que o livro mostra uma lição diferente para cada personagem.

Esse livro me surpreendeu de forma positiva. Durante a leitura, eu me identifiquei muito com Nora, a cada posição passada no Kindle, eu me sentia muito ela. Confesso que até metade dele, estava pensando que era apenas mais um livro de contos separados como os milhares que já existem no mercado, mas não é, esse livro faz jus ao nome de Roda-Gigante.

E aqui algumas coisas que eu gostei de ler durante a leitura:

"Eu não tenho amigos aqui. Eu quase não tinha amigos lá. Recomeçar é tão difícil. Meu Deus... Eu passei o fim de semana apenas falando com um gato! O que vai ser de mim? Por que tudo é sempre tão difícil?" por Nora. 

"A ingenuidade de acreditar que o amor faz as pessoas sempre serem melhores" por a própria autora (narradora).

"Eu não sei como certos livros conseguem se tornar best-sellers com histórias tão bobinhas." por Patrícia. 

"Sim. É um desafio - disse Eduardo, de forma resoluta - deveríamos todos sempre buscar isso. O desafio de fazer algo que é assustador. Como esperarmos crescer se sempre fazemos algo que já sabemos o resultado? Mesmo assim, nós evitamos." por Eduardo. 

Editora: Simplíssimo
Páginas: 92
Ano: 2014

18.10.16

#GAMING - MUGEN CHAR: SHIRYU (Saint Seiya)

Segundo lançamento é o cavaleiro lendário de bronze, sucessor de Dohko de Libra e pai de Ryuho: Shiryu de Dragão!






5.9.16

#GAMING - MUGEN CHAR: HYOGA (Saint Seiya)

MUGEN é um motor gráficos de jogos 2D. Sabe quando você está jogando algo, mas pensa "Poxa, podia ter isso, isso e aquilo", pois bem, é por esse motivo que eu comecei a mexer com MUGEN, e isso já esta comigo há muito tempo.

MUGEN é uma plataforma de open-source, geralmente tudo que é feito para plataforma é fan-made e não tem fins lucrativos.

Esse é meu primeiro lançamento público em longo tempo, acho que faz mais ou menos quatro anos que não lançava nada.

E o meu primeiro lançamento em anos é nada mais, nada menos que Hyoga de Cisne, da serie Cavaleiros de Zodíaco/Saint Seiya, uma das minhas preferidas na minha infância, adolescência. Bem, boa diversão e clique na imagem para baixar.

#UPDATE 18/10/2016 - VERSÃO 1.5 LANÇADA




31.8.16

#ON SPOTIFY - Delain - Moonbathers


Pra quem não sabe, o nome da banda vem de nada mais e nada menos do que de um livro do Stephen King chamado "Os Olhos do Dragão". Eu já sou fã do Stephen King, e em um belo dia o Spotify me levou a esta banda magnifica de metal sinfônico, e achei a combinação perfeita.

É possível reparar claramente que existe um preconceito enorme em relação a algumas músicas da banda por ter uma pegada extremamente pop, mas isso é um problema pros headbangers. Não vejo os motivos de tanta criticas, existem muitas e muitas bandas de metal sinfônico genérico por ai atendendo os gostos de qualquer um. Acho a mistura que a Delain faz bonita e orquestrada. É lindo.

O "Moonbathers" veio definitivamente para superar o álbum anterior "The Human Contradiction", em minha visão de fã. O álbum tem o melhor do que a banda fez ao longo desses anos, músicas calmas com aquele climinha de orquestra como The Last Breath e The Monarch. Musicas cativantes do inicio ao fim como Turn The Lights Out e Scandal.

A intro de The Glory and the Scum me fez dar replay varias e varias vezes ainda na primeira audição, é perfeita. E no meio da audição você percebe que está acompanhando o "Monster, Monster, Monster".

Fire With Fire é minha preferida, é o tipo de música que te leva a cantar do inicio ao fim.

O EP de Lunar Prelude já havia nos revelado Suckerpunch, e bem, quando escutei dentro do Lunar Prelude, já conseguia esperar um grande álbum, ainda mais com a entrada da guitarrista Merel Bechtold

Minhas indicações pra cair de boca nesse álbum são: Fire With Fire, Scandal, Turn The Lights Out, Danse Macabre e Hands Of Gold (com a participação de Alissa White Gluz).

 

30.8.16

#ON SPOTIFY - Lindsey Stirling - Brave Enough



Estou falando isso apenas como um entusiasta da música, não sou critico nem nada, o máximo que faço é arranhar um violão de vez em quando.

Um dia estava assistindo um vídeo da banda Halestorm, quando aparece uma wild indicação "Shatter Me feat. Lzzy Hale", dei uma clicada de curioso, afinal Lzzy Hale tem uma voz linda e potente e acabei tendo uma das minhas melhores experiencias de vida, que foi escutar essa mulher, essa grandiosa violinista. É incrível como ela consegue juntar a eletrônica com o violino de forma tão perfeita, grandiosa, você sente emoção de verdade saindo da música dela. Eu simplesmente me transporto a um lugar perfeito sem malicia ou maldade e que transmita paz, apenas fechando os olhos e escutando a música.
Eu não vou me prolongar muito, pois isto é uma recomendação e não uma resenha (não tenho capacidade pra isso).

Where Do We Go é uma música daquelas que você claramente escuta por ai nas rádios, mas o violino diferencia tudo. Those Days me lembra muito baladinhas de bandas de rock alternativo, quando flertam com o pop. Don't Let This Feeling Fade é uma mistura perfeita, uns raps no fundo, junto ao violino super excitante e rápido, com um refrão lentinho. Something Wild é calma, transmite paz, e ao mesmo tempo um sentimento bom que não consigo botar em linhas.

Eu escutei Gavi's Song pela primeira vez e dei um, dois, três, quatro, cinco, seis replays, pois, NOSSA! Que música perfeita, e quando pesquisei que descobri que essa música foi feita para o melhor amigo de Lindsey. Quão difícil deve ser lidar com a perda do melhor amigo?

Afterglow, Forgotten Voyage são músicas instrumentais que lembram muito o trabalho antigo Shatter Me.

Pra você sentir o gosto do album sem medo de se aventurar: The Arena, Where Do We Go, Those Days, Don't Let This Feeling Fade, Something Wild, Gavi's Song, Afterglow, Forgotten Voyage.




Resenha #4 - Ventania



No final do mês de maio comecei a cursar Engenharia da Computação na UFPA, e devo relatar que estou muito apaixonado pelo curso, e não quero pegar DP, o que tira quase todo meu tempo de escrever e ler, mas vale a pena esse sacrifício.

Um dos novos amiguinhos de faculdade me indicou um livro que não vou mentir, eu estava com repulsa de ler. Este livro é Ventania de Alcione Araújo.

Cotidiano
Bem, confesso que no inicio esse livro é bem devagar, o que pode repelir muita gente, no inicio não passa de um slice of life, onde a trama apenas esta começando. É mostrado e definido quem serão os personagens principais: Lorena, Zejosé e Delfos.
Inicialmente apenas é mostrada a relação entre eles, e o motivo desse encontro. Temos a descrição do lugar onde se passa a historia, e sim, você vai se sentir dentro de Ventania, é um dos pontos fortes do livro, a ambientação perfeita.

Narração envolvente 
Algo que percebi no meio de uma conversa com o amigo que me indicou o livro, esse livro é uma retratação e critica pura aos "meninos de rua" do nosso Brasil, e a modelização de como a sociedade os trata.
Eu cresci em dos bairros mais periféricos da minha cidade natal, e acompanhei de perto os que escolheram um bom e um mal caminho e como as pessoas ao redor tratavam cada um. E também percebi as formações de bandos, assim como no livro.
Esse livro me trouxe uma especie de nostalgia dessa época, e pude entender o ponto de vista da autora. O que me deixa mais intrigado é que é tudo jogado de forma natural, uma narrativa sem explosões, sem anomalias, tudo acontece naturalmente, tudo narrado por Delfos.

Personagens
Zejosé é o principal dos principais, se é que podemos chamar assim, o garoto tem uma carga pesada a levar. Confesso tinha uma repulsa enorme por ele no inicio, por parecer alguém birrento, imaturo e que não sabe definir o que é bom ou ruim para ele, e quando se juntava ao "bando" tornava-se um paspalho que recebia ordens e não pensava nas consequências de cumpri-las. Mas ao longo de todo o livro, ele amadurece. No fim, continuei achando ele um chato, mas alguém suportável.
Lorena é uma moça que veio da capital, bem educada e delicada. Acaba descobrindo que não conhece a si mesmo, é impulsiva e tenta controlar suas emoções ao máximo, mas quando explode temos as cenas mais lindas do livro.
Delfos é um carinha importante na cidade de Ventania, e não posso revelar aqui o porquê, perderia um pouco da magia por trás desse personagem que passei a admirar muito, ele é o nosso querido narrador da historia, o que permite que tenhamos o mesmo ponto de vista dele pra varias situações, mas no fundo mesmo, Delfos é uma boa pessoa que procura um lugar para descansar o coração (ele merece).

Conclusão
Super recomendo este livro, é uma obra perfeita, do inicio ao fim, e o final? Ah, o final é surpreendente e vai deixar muita água na boca. Devo alertar que se você não tem paciencia para desenvolvimentos lentos, passe longe dessa obra.


Editora: Record
Páginas: 322
Ano: 2011

P.S: Li no Kindle.